nota: n√£o uso o AO90, escrevo ‚Äú√† maneira antiga‚ÄĚ

Joana Rita Digital Strategist

consultora e formadora

co-founder da #filadafrente & live tweeter

copywriter & ghostwriter

I ask questions, I solve problems and I clean ūüí©

Joana, por onde andas?

Joana, o que fazes?Faço perguntas.

Talvez seja defeito de formação, uma vez que estudei e estudo Filosofia, mas a verdade é que adoro problemas. Enquanto consultora e digital strategist, as perguntas são a minha ferramenta de eleição para os identificar, nomear e resolver.

√Č atrav√©s das perguntas que descubro, lado a lado com os meus clientes, quais s√£o os problemas que existem e o que devemos fazer para os ultrapassar. S√£o as perguntas que me ajudam a identificar objectivos, a estabelecer planos de ac√ß√£o, a gerir processos e a avaliar resultados.¬†

Precisa de uma consultora que o ajude a identificar problemas e a ‚Äúachar o fio √† meada‚ÄĚ?¬† Procura uma formadora que o ajude a implementar processos de forma√ß√£o feitos “√† medida”? Estou √† dist√Ęncia de um e-mail.

Plat√£o

No dia-a-dia da vida das empresas, as ‚Äėssoas que as comp√Ķem nem sempre t√™m tempo para parar para pensar.

No trabalho que desenvolvo como consultora, este √© um passo importante: parar para pensar. Pe√ßo aos meus clientes que partilhem comigo algum tempo para responder √†s minhas perguntas, ap√≥s investiga√ß√£o e recolha de dados, da minha parte. As perguntas procuram colocar em pr√°tica o ‚Äúconhece-te a ti mesmo‚ÄĚ. Uma empresa que sabe dizer quem √©, que valor acrescenta aos outros, que factores a diferenciam – essa √© uma empresa que pode criar o seu tom de voz, de forma alinhada com a sua ess√™ncia e com os seus objectivos de neg√≥cio.

Envie-me um e-mail para marcarmos uma reuni√£o para parar para pensar. Prometo levar perguntas comigo.

Uma dificuldade comum na vida das pessoas que est√£o nas empresas passa pela organiza√ß√£o, gest√£o e documenta√ß√£o de processos. Seja na organiza√ß√£o de um evento, no planeamento de conte√ļdos, na implementa√ß√£o de uma estrat√©gia: por vezes temos dificuldade para parar e documentar como fazemos, a quem delegamos, quem faz o qu√™ e em que momento. √Č aqui que os meus servi√ßos de Gest√£o de Processos podem fazer a diferen√ßa, simplificando o seu dia e o dia das suas equipas.

Se precisa de ajuda para pensar processos e formas simples e √°geis para os documentar, contacte-me.

A ensinar a parar para pensar:

Ninguém quer falar com as marcas: as pessoas querem falar com pessoas. E ninguém resiste a uma boa conversa.

As pessoas ligam-se a pessoas, a emo√ß√Ķes, a likes ūüíú,¬† a WOOOO, a grrrr ūü¶Ā, a hist√≥rias. As pessoas adoram uma boa conversa. As marcas devem, por isso, assumir-se como pessoas, na comunica√ß√£o de proximidade que √© poss√≠vel atrav√©s de canais como as redes sociais.

Entre outras coisas, o #TwitterChatPT existe para aproximar pessoas e marcas: o ponto de encontro é no Twitter, através do meu perfil pessoal.

Se a sua marca tem presença no Twitter e se pretende organizar um Twitter Chat para a sua marca, fale comigo.

O Live Tweeting √© uma forma de documentar o seu evento, atrav√©s de tweets que d√£o conta do conte√ļdo que por l√° foi partilhado. A partilha acontece atrav√©s da # oficial do evento e pretende-se que crie awareness e que promova conversas. O Live Tweeting √© servido com uma boa dose de pensamento cr√≠tico e de humor. E os trending topics ficam ali mesmo, ao virar da esquina.

Mesmo que a sua marca não tenha presença no Twitter, considere a possibilidade de incluir o Live Tweeting no plano de comunicação do seu evento: lembre-se, a conversa gira em torno da # oficial. Falamos sobre isso?

Uma história sobre #twitterchatpt

As pessoas devem marcar presença nas redes sociais assumindo a sua marca pessoal.

E as pessoas? As pessoas devem marcar presença nas redes sociais, assumindo a sua marca pessoal.

A presen√ßa em social media, do CEO, ao head of something, passando pelo account, deve ser encarada como seriedade. O que significa? Que deve ser tida em conta uma estrat√©gia de comunica√ß√£o, que devem ser definidas t√°cticas. √Č neste √Ęmbito que actuo como Digital Strategist e Reputation Manager.

Como copywriter aprendi a “colocar-me” no lugar dos outros – sejam ‘ssoas ou marcas. A cria√ß√£o de conte√ļdos escritos trouxe-me a experi√™ncia e o aprofundar de t√©cnicas que me permitem dar um tom humano √†s marcas e um tom de marca √†s pessoas (humanas).

 

Assim surge o ghostwriting, que tem uma acção dupla: por um lado, ajuda as pessoas a encontrar o seu tom pessoal, por outro lado, permite o ajuste para a comunicação em social media.

Precisa de encontrar o seu tom de voz? Est√° confuso quanto aos canais que deve usar para comunicar? Tem d√ļvidas quanto ao conte√ļdo a publicar? Pretende conhecer as melhores pr√°ticas do momento? Contacte-me.

A ideia do blog √© ser um thinktankūüé® onde v√°rios convidados podem escrever e provocar o pensar, sobre o digital (e outras coisas).